Cuidados Básicos

Os cuidados básicos do paciente internado na UTI compreendem monitorização de funções vitais, administração de medicamentos, higiene, alimentação e fisioterapia.

 

Monitorização de Funções Vitais

Durante a permanência na UTI, as funções vitais do paciente são constantemente monitoradas, o que permite a rápida identificação de alterações do estado clínico do paciente. Alguns exemplos de funções vitais monitoradas incluem:

  • Pressão Arterial;
  • Frequência Cardíaca;
  • Temperatura Corporal;
  • Frequência Respiratória;
  • Glicemia Capilar (estimativa da glicose sanguínea);
  • Oximetria de pulso (estimativa da oxigenação sanguínea);
  • Eletrocardiograma;
  • Diurese (quantidade de urina);
  • Nível de Consciência.
Monitores de Funções Vitais são muito comuns no ambiente de UTI

Administração de Medicamentos

A administração de medicamentos prescritos pela equipe médica faz parte da rotina de cuidados básicos em UTI. A aplicação destes tratamentos pode ser realizada por vias diferentes (pela boca, por sonda enteral ou pela veia, por exemplo). A escolha da via de administração dos medicamentos leva em consideração as condições do paciente e as características do medicamento (certos antibióticos, por exemplo, somente são disponíveis em formulações para uso pela veia). É prática comum nas UTIs o uso de sistemas de segurança que previnem a administração errônea de medicamentos, como o uso de checklists, por exemplo.

A administração de medicamentos ao paciente da UTI é rigorosamente controlada para evitar erros

Cuidados de Higiene

A higienização do paciente crítico é uma das prioridades dos cuidados básicos de UTI. A forma de higienização depende muito do quadro clínico. Em pacientes instáveis ou dependentes de certos dispositivos (ventilação mecânica, por exemplo), a higienização costuma ocorrer no próprio leito. Alguns exemplos de cuidados diários de higiene do paciente internado na UTI estão listados abaixo:

  • Higiene Oral;
  • Higiene Ocular;
  • Banho (com auxílio no banheiro ou no próprio leito);
  • Troca de curativos de lesões.
A higiene oral é realizada de forma periódica em todos os pacientes

Alimentação

A nutrição adequada faz parte do tratamento na UTI. A dieta do paciente é cuidadosamente planejada pelas equipes de medicina e nutrição. A via de alimentação depende das condições clínicas e nutricionais do paciente, podendo ser realizada por via oral (pela boca), por sonda digestiva (sonda colocada pelo nariz ou pela boca), gastrostomia (sonda colocada em orifício cirúrgico no estômago), jejunostomia (sonda colocada em orifício cirúrgico no intestino delgado) ou pela veia (nutrição parenteral). Devido a estas peculiaridades, eventualmente, pode parecer que o paciente não está recebendo alimentação quando, na verdade, ele está recebendo o suporte nutricional apropriado. Em caso de dúvida, pergunte à equipe da UTI.

A alimentação do paciente pode ser realizada por diferentes vias. Neste exemplo, o paciente recebe dieta por gastrostomia

Fisioterapia

A fisioterapia faz parte do tratamento e da reabilitação do paciente criticamente enfermo. Os pacientes internados na UTI são, geralmente, submetidos a fisioterapia diária. O início do tratamento é precoce, podendo ocorrer já nas primeiras horas após admissão na unidade. A fisioterapia pode ser motora ou respiratória. Atividades de movimentação (sentar em poltrona, ficar em pé ou caminhar com auxílio) também são consideradas formas de fisioterapia e são importantes para a recuperação do paciente e para a prevenção de complicações.

A fisioterapia costuma ser realizada diariamente na UTI