Segurança do Paciente

O paciente internado na UTI, pela sua gravidade e pela frequente necessidade de tratamentos invasivos, é, por definição, um paciente vulnerável. Nesta população especial de doentes, medidas de segurança são fundamentais para evitar complicações relacionadas ao seu estado de saúde ou aos tratamentos recebidos. Prevenção de infecção, prevenção de eventos tromboembólicos, prevenção de quedas e prevenção de erro de medicação são exemplos de estratégias de promoção de segurança ao paciente internado na UTI.

Prevenção de Infecções

A prevenção de infecção constitui uma das medidas mais importantes de segurança do paciente internado na UTI. O paciente grave é suscetível a infecções tanto pela desregulação de sua resposta imune quanto pela frequente necessidade de dispositivos invasivos (sondas e cateteres, por exemplo). A principal medida de prevenção de infecções é a adequada higienização das mãos antes e após contato com o paciente ou com o meio ao redor do paciente. A higienização das mãos pode ser realizada com álcool gel ou através da lavagem com água e sabão. Deve-se evitar também o contato do paciente com pessoas com doenças possivelmente contagiosas (resfriados, “viroses”, conjuntivite, catapora etc.).

Dispensador de álcool gel frequentemente encontrado em ambiente de UTI

Prevenção de Eventos Tromboembólicos

A ocorrência de trombose de membros e consequente embolia pulmonar são complicações possíveis de pacientes graves, uma vez que a imobilização prolongada e a gravidade da doença crítica constituem fatores de risco. Por isso, é parte da rotina dos cuidados da UTI a aplicação de medidas de prevenção de eventos tromboembólicos tais como movimentação precoce, uso de compressores em pernas e uso de medicamentos anticoagulantes.

A deambulação precoce é uma estratégia de prevenção de eventos tromboembólicos

Prevenção de Quedas

O paciente grave possui risco aumentado de quedas por múltiplos fatores (fraqueza muscular, confusão mental, pressão baixa, hipoglicemia e uso de medicamentos que podem causar sonolência ou desequilíbrio). Uma queda em uma situação de fragilidade de saúde pode causar complicações importantes, atrasando o processo de reabilitação. Entre as medidas comumente utilizadas para minimizar este risco, pode-se citar a manutenção das barras laterais da maca elevadas, a movimentação do paciente somente com a ajuda da equipe da UTI e o uso eventual de contenção mecânica (especialmente em casos de pacientes desorientados e agitados).

A manutenção das barras laterais da maca elevadas ajuda a prevenir queda dos pacientes

Prevenção de Erro de Medicação

A prevenção do erro de administração de medicamentos na UTI é realizada de forma rotineira através da correta identificação dos pacientes, rastreamento de incongruências de prescrições e uso de sistemas de checagem (medicação correta para o paciente correto).

A checagem da medicação correta para o paciente correto faz parte da rotina de atendimento na UTI